Voltar ao Blog
jornada de trabalho pontomais

Intervalo sobre a jornada de trabalho: entenda mais sobre o assunto

Gabriel Colombo

Chega de trabalho manual!

Conheça mais sobre o sistema de controle de ponto que reduz em até 50% o trabalho do seu RH.

Saiba Mais
Saiba Mais

Jornada de trabalho

No dia 13 de julho de 2017 foi aprovada a Reforma Trabalhista — texto que contém diversas alterações em pontos como férias, jornada de trabalho, plano de carreira e remuneração.

O gestor que não deseja ter problemas em relação aos assuntos trabalhistas, então, deve permanecer atento aos detalhes que entraram em vigor a partir da nova legislação. Nesse contexto, o intervalo sobre a jornada de trabalho obedece à nova regra, que deve ser observada e bem cumprida.

Se você ainda não sabe o suficiente sobre ela, fique tranquilo. Nós preparamos este artigo com o objetivo de detalhar todos os pontos necessários a respeito do intervalo sobre a jornada de trabalho.

Então, confira e saiba mais!

A legislação e a jornada de trabalho

Para ter certeza de tudo sobre essa regra, é fundamental conhecer a legislação que versa sobre ela. Você encontrará as informações sobre a jornada de trabalho no artigo 71 da CLT, a Consolidação das Leis Trabalhistas.

Até a aprovação da reforma trabalhista, esse artigo apontava que em qualquer trabalho contínuo que exceda o limite de 6 horas, é obrigatório conceder ao trabalhador intervalo para repouso ou alimentação de, no mínimo, 1 hora. Entretanto, esse intervalo não pode exceder 2 horas.

Pela nova regra da reforma trabalhista, o intervalo sobre a jornada de trabalho poderá ser negociado entre funcionários e empregadores — desde que tenha, pelo menos, 30 minutos.

Essa mudança foi implementada por meio do inciso III do artigo 611-A da CLT. A nova lei, 13.497/2017, estabeleceu que a convenção e o acordo coletivo têm prevalência sobre as leis trabalhistas no que diz respeito ao intervalo sobre a jornada de trabalho.

eBook Gestão de Tempo

O que isso significa?

Isso significa que a empresa, mediante o acordo coletivo ou a convenção coletiva de funcionários, poderá reduzir o intervalo sobre a jornada de trabalho sem deixar de considerar a adequação da escala (serviços e produção). Portanto, não há a necessidade de interferências oriundas do Ministério do Trabalho ou da Secretaria de Saúde no Trabalho.

Do mesmo modo, o inciso III do artigo 611-A da CLT diz que a redução do intervalo intrajornada para até 30 minutos pode ser feita também em acordo individual, algo previsto no parágrafo único do artigo 444 da Consolidação das Leis Trabalhistas.

Isso é válido para o caso do trabalhador que tenha o diploma de nível superior e que receba salário mensal igual ou maior que duas vezes o limite máximo dos benefícios do Regime Geral da Previdência Social (R$ 5.531,31 em 2017).

As demais obrigações da CLT, no que diz respeito ao intervalo sobre a jornada de trabalho, foram mantidas. O dispositivo exibe 4 parágrafos, assim expressos:

Parágrafo 1: Não excedendo de 6 (seis) horas o trabalho, será, entretanto, obrigatório um intervalo de 15 (quinze) minutos quando a duração ultrapassar 4 (quatro) horas.
Parágrafo 2: Os intervalos de descanso não serão computados na duração do trabalho.
Parágrafo 3: O limite mínimo de 1 (uma) hora para repouso ou refeição poderá ser reduzido por acordo ou convenção coletiva. Também caso o trabalhador tenha nível superior e receba salário mensal igual ou maior que duas vezes o limite máximo dos benefícios do Regime Geral da Previdência Social (R$ 5.531,31 em 2017).

Devemos ressaltar que não há necessidade de autorização do MTE ou Secretaria de Segurança e Higiene do Trabalho. Posteriormente, esses órgãos verificavam se o estabelecimento atendia integralmente às exigências concernentes à organização dos refeitórios.

Parágrafo 4: Quando o intervalo para repouso e alimentação, previsto neste artigo, não for concedido pelo empregador, este ficará obrigado a remunerar o período correspondente com um acréscimo de, no mínimo, 50% (cinquenta por cento) sobre o valor da remuneração da hora normal de trabalho.

Ainda de acordo com o § 5 do artigo 71 da CLT, os intervalos de 1 hora (e de, no máximo, 2 horas) ou o intervalo de 15 minutos (que depende da jornada de trabalho) poderão ser fracionados. Desse modo, é mantida a remuneração e são concedidos intervalos para descanso menores.

Essa regra é válida para os casos compreendidos entre o término da primeira hora e o início da última hora trabalhada. Desde que esteja previsto em convenção ou acordo coletivo de trabalho.

Outro ponto que deve ser visto é a natureza do serviço do trabalho. Devemos considerar as condições especiais do trabalho a que são submetidos estritamente os seguintes profissionais:

  • motoristas;
  • cobradores;
  • fiscais de campo e afins, como os operadores de serviços rodoviários;
  • empregados no setor de transporte coletivo de passageiros.

Quem tem direito ao intervalo durante jornada de trabalho

Conforme a lei, o empregado que trabalha menos de 4 horas seguidas não tem direito de gozar do intervalo. Caso trabalhe entre 4 e 6 horas, ele já tem direito ao intervalo para descanso e repouso de 15 minutos.

Acima de 6 horas, o intervalo deve ser de, no mínimo, 1 hora. Esse intervalo poderá ser reduzido por meio de um ato do Ministério do Trabalho. Para essa redução, a empresa deve atender as exigências relacionadas aos refeitórios. Nesse caso, os funcionários não trabalham sob regime de horas extras.

O que acontece se o empregador não cumpre a lei

Esqueça o que dizem as pessoas que afirmam que as regras foram feitas para serem quebradas. Sua empresa pode ser penalizada e pagar multas.

Se o empregador não conceder o benefício ao trabalhador, ele será obrigado a remunerar o período com um acréscimo de 50% sobre o valor da hora normal de trabalho. Se não fornecido ao empregado o valor da jornada de trabalho, esse valor passa a ser salário.

A impossibilidade de suprimir o que reza a lei

Com o que fixa a Súmula 437 do TST, fica evidente que não é possível eliminar aquele intervalo por nenhum meio legal, como um acordo ou eventual convenção coletiva.

A notícia boa é que se trata de uma prerrogativa que deve ser compartilhada pelo empregador e pelo empregado. Não cabe somente ao primeiro a obrigação de registrar o intervalo entre a jornada de trabalho e de comprová-lo judicialmente.

Todas as partes precisam apresentar provas de que realmente a regra não foi cumprida nas ocasionais questões judiciais.

Ressaltamos a importância de ficar atento à nova lei trabalhista. Assegure-se de que sua empresa cumpra corretamente a legislação que aponta as regras do intervalo sobre a jornada de trabalho.

Lembre-se de que a redução mencionada precisa ser firmada em um acordo coletivo ou convenção entre patrões e empregados. É necessário que seja validada pelo sindicato correspondente.

É muito importante manter um controle de ponto correto e sempre em dia, o Pontomais é ideal para isso.

Continue aprimorando o seu conhecimento por meio deste e-book sobre a legislação de controle de ponto. Entenda-a e evite as dores de cabeça que podem surgir. Nele, abordaremos pontos como os aspectos legais e as portarias 373 e 1510 do Ministério do Trabalho e da Previdência Social. Confira!

A Pontomais é a maior plataforma de Controle de Ponto da América Latina. Intuitiva, econômica e segura, somos mais que um sistema de controle de ponto, somos seu parceiro para um RH mais fácil e estratégico. Garantido que as empresas estejam dentro da lei e evitando passivos trabalhistas.

Diminua a burocracia usando tecnologia simples e ganhe tempo para cuidar das pessoas e do seu negócio. Clique aqui, conheça a Pontomais e venha revolucionar a gestão da sua empresa.

Até mais. 🙂

Compartilhe nas redes sociais: 

Mais posts do blog

Funil de vendas: o que é, dicas e vendas online

Confira as dicas para produzir conteúdo em cada uma das etapas do funil de vendas e transforme o usuário da internet em cliente.

Ler mais

Como automatizar processos com uma comunicação humanizada

Humanizar a comunicação é o caminho para o bom relacionamento com clientes e colaboradores. Saiba como usar a automatização para otimizar os processos.

Ler mais

Dúvidas sobre ponto eletrônico: Esclareça as 7 principais conosco!

Apesar da importância do controle da jornada pelas empresas, muitas ainda têm dúvidas sobre ponto eletrônico. Tire as principais dúvidas sobre controle de ponto aqui.

Ler mais

Fique por dentro do mundo de RH!

Faça o cadastro em nossa newsletter para receber nosso conteúdo novo, sempre fresquinho!

Conheça a Pontomais

Gestão de jornada na palma das mãos

Nosso App e Software de Controle de Ponto vai tornar sua vida mais fácil

20/03 18:01
R. Padre Anchieta, 2310, Mercês, Curitiba-PR
BANCO DE HORAS
+23:42

Que tal fazer um teste Grátis?

Experimente grátis por 14 dias o melhor sistema de Controle de Ponto da América Latina
COMEÇAR AGORA
Muito Obrigado. Clique AQUI para acessar a Pontomais
Oops! Alguma coisa deu errado ao enviar o seu cadastro! Tente novamente.

Estamos preparando sua conta...